Arquivo de Oráculo da gravidez

As Iniciações ao Fá Vodún.

Posted in Postagens with tags , , , , , , , , , , on setembro 30, 2009 by PAPOINFORMAL

1-Adogo-Fá: Este rito significa literalmente “o oráculo da gravidez”. Na verdade, quando sabemos que a mulher está grávida, vamos consultar o Fá (Oráculo geomântico) para saber se a gravidez está indo bem, saber o sexo do futuro bebê, etc. A tradição ensina que a criança “fala” desde o ventre de sua mãe, a primeira consulta é uma forma de interrogatório, questionando a sua mente, mais precisamente, para saber o que suas expectativas são, o que anunciar à família em que vai nascer, etc. Este diálogo com o espírito da criança, preparando o terreno para sua vinda ao mundo dos vivos: o universo visível, que chamam Gbe em fon e em iorubá chamam Ile Ayè. Por enquanto ele está no ventre de sua mãe, e na vida após a morte (Fe em Fon; Orun Ilé em iorubá). Ao nascer, o seu primeiro choro, irá incluí-lo no mundo dos vivos. O papel principal depois é identificar todos os sinais característicos que a criança apresenta ao nascer: Será que apresentou os pés primeiro em vez da cabeça? Ou as nádegas? Ela estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço, ou no braço? Nasceu de frente para o céu? Nasceu empelicado? Nasceu de mãos abertas? Em resumo: Como estava a criança no nascimento? Estes detalhes são sinais com mensagens que serão importantes para a aposição do nome da criança e, assim, em sua vida futura. A segunda coisa que é observada é o local onde a criança nasceu; A terceira coisa que é levada em conta é o dia do nascimento (o dia da semana nas semanas de 4,7, e de 9 dias). Com esses 3 elementos seus pais serão capazes de abordar a segunda iniciação. 2-Fagbasa: Tem lugar aos 3 dias, 3 meses ou 3 anos após o nascimento da criança. É durante esta cerimônia que se dá o nome à criança, que é retirado dos elementos anteriores. O nome comum é conhecido em todo o mundo e ele mantém toda a sua vida, ao contrário do seu verdadeiro nome, que será atribuído a ele durante a segunda iniciação (Fagbasa) que só será conhecido no círculo familiar. Tradicionalmente, não se revela o verdadeiro nome fora da família. Para dar seu nome verdadeiro deve se conhecer o antepassado, que presidiu o seu nascimento. É o “joto” ascendente que significa “o pai do nascimento”. Não é do pai biológico, mas do pai espiritual, do vodún. É o mekokanto joto, ou seja, “o pai espiritual que escolheu a terra cujo filho foi expulso”. Este joto é identificado por consulta ao Fá e com os três elementos relacionados nas circunstâncias do nascimento. A criança recebe um joto, ali está suas características físicas, seu caráter, seu potencial espiritual, etc. É muito provável que ele faça na vida, de acordo com o caminho de seu joto. 3-Fá-sinsen (Amansinu): É o terceiro rito iniciático. Ele é intermediário entre o Fagbasa e o Fazun. Este início pode ser visto como um rito de passagem na adolescência. Ocasião quando dois coquinhos de dendezeiro são entregues ao iniciado, que os usa envolta do pescoço até sua iniciação no Fazun, outra ocasião em que é feito o Fá-tite. 4-Fazun e Fá-tite: É a iniciação na floresta sagrada de Fá Vodún, o Fazun. A quarta iniciação é a mais importante na vida de um homem. O rito é desenvolvido na idade em que o rapaz já pode ser considerado um adulto. Com a presença de vários iniciados de Fá Vodún, e parentes ou amigos próximos que já passaram pela mesma cerimônia ritualística, o novo homem vai buscar com suas próprias mãos na floresta sagrada o seu kpoli (dù), isto é, o signo em que Fá lhe revela quem é, e o que realmente é. Este signo continuará a ser um segredo para sempre, ele nunca deverá ser revelado à ninguém de fora do culto que lhe fez o rito. O kpoli é o sinal que é obtido nas consultas do Fá-tite do bokonon à noite dentro da floresta e que revela ao homem o seu passado, seu futuro, seus pontos fortes e fracos, suas proibições (sù), as doenças que ele pode sofrer, e até o tipo de morte que o espera; o tipo de mulher que ele deve ou não casar; de quantos filhos será pai, etc. Após a cerimônia, o novo iniciado irá para a escolha do seu nome, em conformidade com seu kpoli. O nome dado por seus pais Fagbasa desaparecerá e ele passará a ser conhecido por um novo nome e que muitas vezes é um aforismo, um provérbio, uma máxima, ou uma frase tirada de uma parábola ou lenda ligada ao seu kpoli. Mas não usará a frase inteira, apenas um clipe dela, e às vezes apenas uma palavra da frase. Assim, o nome real ficará desconhecido, e será difícil para um leigo deduzir qual é o seu kpoli. A cerimônia do Fá-tite no Fazun é muito complexa e pode durar três dias ou mais (excluindo o período de preparação, jejum, etc.). Ela começa com o bokonon pai de sua iniciação e termina com ele.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.